.posts recentes

. Guarda-redes da Selecção ...

. The Beatles - I Me Mine

. Espírito Natalício

. Segunda-Feira!

. Algumas partes do melhor ...

. Concerto Ray Wilson (Ex-G...

. Franz Ferdinand - Lucid D...

. Franz Ferdinand - Campo P...

. João Só e os Abandonados ...

. The Muppets - Bohemian Rh...

. Cabeleireiro

. Bombeiros Voluntários da ...

. Keane - Again & Again

. Pequeno Nikita

. Razorlight - Golden Touch

. Kirchhoff Arctic Set "Stu...

. Sem ideias para um título...

. Futebol

. Quando eles tinham cabelo...

. New Shoes

.arquivos

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

.Contador

Quarta-feira, 9 de Dezembro de 2009

Concerto Ray Wilson (Ex-Genesis) - Maxime

 

Foi no passado Domingo, num ambiente intimista, calmo e informal, que assisti ao concerto de Ray Wilson, vocalista dos Genesis entre 1996 e 1998.

Fiquei a conhecer o Ray Wilson por intermédio do meu irmão, ele sempre foi um grande fã de Genesis, em 1997 apareceu em casa com o novo cd dos Genesis, Calling All Stations. Depois de Phill Collins (ou como um rapaz que eu conhecia dizia: "Far Corins") sair dos Genesis, os restantes músicos, Tony Banks e Mike Rutherford, decidem fazer castings para a escolha do novo vocalista. Entre os candidatos estava o ex-vocalista de Marillion, para quem conhece Marillion (não é o meu caso), a voz do vocalista Alan Barton é parecidíssima com a de Peter Gabriel e os Marillion sempre afirmaram que eram grandes fãs dos Genesis, daí a sua música ser bastante semelhante à dos Genesis.

Os dois elementos da formação inicial dos Genesis decidem contratar o "desconhecido" Ray Wilson, que havia pertencido à banda escocesa Stiltskin.

O álbum Calling All Stations vendeu bastante bem na Europa, mas não nos Estados Unidos, os Genesis até tinham preparado uma digressão pelos Estados Unidos mas foi cancelada devido à fraca venda de bilhetes para os concertos. Em 1998 os Genesis decidem fazer uma pausa e "convidam" Ray Wilson a sair. Mais tarde Ray Wilson veio a afirmar que ninguém dos Genesis lhe disse nada, decidiram fazer uma pausa e nem lhe disseram se tinha saído da banda ou não, ele passou um período bastante complicado da sua vida após a saída dos Genesis.

Por sorte, estava a navegar na internet no site da ticketline para ver quais os concertos que iriam haver em Portugal, nunca costumo fazer isso, acabei por encontrar o concerto do Ray Wilson - Genesis Unplugged, liguei logo ao meu irmão e num instante comprámos os bilhetes com medo que esgotassem.

Antes de entrar para o concerto estava um bocado reticente, não sabia se realmente o concerto valeria a pena, por outro lado, seria sempre bom ver um espectáculo diferente.

É-me complicado descrever o concerto, foi uma experiência única, ainda tenho bem guardado na memória o excelente concerto que o Ray Wilson deu, é sempre bom descobrir novas formas de fazer música e ouvir outros estilos, fiquei tantas vezes arrepiado, foi óptimo. O Ray tocou músicas dos Genesis, Peter Gabriel, Phill Collins e algumas dele, foi um conceito diferente de espectáculo, ele antes de tocar contava algumas histórias do tempo em que esteve nos Genesis, falava com o público ou explicava algo acerca da música, sempre bem disposto e com um enorme sentido de humor. Infelizmente o tempo passou rapidamente, penso que o concerto deve ter durado 1h 30m. No final do concerto, ele disse que ia só lá dentro ao camarim e já vinha ter connosco para beber uma cerveja, o meu irmão bem queria ficar mas eu olhei para as horas e já era quase uma da manhã, no outro dia eu tinha que ir trabalhar, com muita pena nossa não podemos ficar para conversar ele.
Não deveriam estar muito mais de 50 pessoas no Maxime, só mesmo aquelas pessoas que são fãs de Genesis é que devem ter ido ao concerto. O Maxime tem mesmo estilo de casa de "chantras", mas gostei bastante, é pequeno e bem decorado. Nota-se que ele ficou um bocado abalado com a saída dos Genesis e da forma como foi tratado, atingiu a fama rapidamente e num instante perdeu-a, um músico desta categoria merecia muito mais, tem uma voz única.

Valeu bem pena ter assistido a este concerto.

Para quem estiver interessado, podem ver os vídeos de Ray Wilson, o primeiro num concerto dos Genesis, a cantar a música mais conhecida de Calling All Stations, Congo e no segundo, num concerto de tributo aos Genesis, com banda, a cantar That's All. Não é que haja muita gente interessada em ler estes artigos ou ver estes filmes que coloco, de qualquer forma, é sempre bom escrever/falar sobre outros assuntos para além de futebol ou coscuvilhices ou coisas triviais, pena por vezes não poder falar sobre algum filme, sobre um livro, ou sobre o cd de música que andam a ouvir com algumas pessoas.
 

 

publicado por Ringo às 22:45
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De Nuno Vital a 17 de Dezembro de 2009 às 16:06
Epá, desculpa discordar, mas ninguém tem a voz sequer parecida com a do Peter Gabriel. Aliás, não há ninguém parecido com Peter Gabriel. Às vezes nem ele se parece com ele. Tenho pena de nunca ter visto um concerto dele. É um monstro da música com toda a propriedade.
Pode ser que qualquer dia também sejas. eheheh
Um abraço.
De Ringo a 18 de Dezembro de 2009 às 10:15
Vital, os teus comentários são sempre bem vindos. É a minha opinião, eu não costumo ouvir Marillion, mas um colega aqui no trabalho costuma ouvir e digo-te que é mesmo muito parecido com Genesis, a voz do vocalista também. Gostava de ver um espectáculo de Peter Gabriel, deve ser algo fenomenal.
Já sou um monstro da música, na minha playstation claro, a cantar Beatles ninguém me ganha.
Abraço

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.links